Archive for Abril 2012

Bom Dia


.


Um Ano se passou, e  ele  mesmo  abre alas  para um novo que começa hoje 
de outras  tantas  indas e vindas  da  vida, o   tempo me  concedeu  um amor. 
Amor    daqueles de cinema, um  amor real,  eterno,   platônico,  adolescente 
intenso, com gostinho    de    chuva na janela, com   cheiro   de   roupa limpa 
com ar de desconfiado, enciumado, carnavalesco. 
Um amor que me faz sonhar acordado, que    me    deixa zonzo, e   que   faz 
perder tudo, as   chaves, os   cartões, a cabeça   e   aflora também o sentido 
e o sentimento de querer estar sempre atento.
Como se    a    vida sem par não bastasse, como    se   fosse a maior certeza 
depositada nela, e    quem um dia irá dizer que     se    tornaria  isso, por  fim 
o único amor que já tive. 
Aquele   que   uma briga não destrói, aquele    que um problema não derruba 
companheirismo, sem egoísmo, e também a melhor companhia. 
A menina mais bela, os olhos  mais intensos   e   castanhos claros que eu já vi 
A paixão   que   me  deixa louco, o amor que me leva às estrelas, sem pensar, 
mesmo.
A guria que me fez entender sobre poesia, sobre   a  vida sobre quem eu sou 
a menina do ovo virado que colore, desenha, pinta e  borda  com  meu senso 
o sorriso de mil primaveras, a certeza num olhar brisado de amor. 
Ardor sofrimento, revanche, batalha visceral, voraz,  o   amor    propriamente 
dito, e    também    o    único    que   não dá para fragmentar em palavras que 
tentariam esboçar a maior satisfação que já senti. 
Minha Flor, a primeira estrela   e   também   o   primeiro pensamento quando 
acordo.
O meu sonho infantil, a música mais linda  que ainda não terminei  de escrever 
aquele Eu Te Amo, com gosto de Obrigado, e  o pedido mais   sincero    que 
você possa imaginar de por favor, fica  pra sempre aqui comigo.

Inimigo Aliado Do Tempo.


.

Mal sei contar quantas noites se foram desde a ultima vez,
Mal sabe você que todo dia eu penso em lhe escrever
o que me leva alem do desperdício, e o cansaço é apenas
uma vaga certeza de que todas as coisas, inclusive eu, acabam

O tempo vai sem tempo, e eu só espero que você venha junto com ele
nas entrelinhas do que a gente sempre espera quando dorme,
na neblina que encanta quando amanhece, o tempo desce mais do que
um escorregador. ele é impiedoso.

Passam, passou, mas o tempo de romântico não é efêmero
será de janeiro a janeiro como um dia lhe prometi, e eu
no que posso esperar. E só espero que não acabe em 2012
que é pra eu ter tempo de te mostrar

em varias frases e na ausência de palavras exatas
que definam o amor é aqui onde eu me encontro, é aqui onde eu deverias estrar
isso e te abraçar, são as duas coisas que mais me encantam na vida
sem essa de despedida, e de pranto só se for de um tanto de nostalgia feliz.

porque não há coisa mais linda do que teu sorriso, não há.

Não é pedir demais, e eu sei que faltei, mas também que sempre estive aqui
e onde mais eu haveria de estar, se aqui contigo é o meu único lugar,
talvez você nem saiba, mas vivo um sonho todo dia ao acordar
por saber que te tenho aqui, e o que eu sei é que palavras nunca irão definir

Na vasta pressa engatinho do tempo, por mais que ele tente me engambelar
por mais que passem os anos, os meses os séculos, aqui e pra sempre, e relogio
nenhum define melhor que isso, é o tempo que preciso ao seu lado.
e é o mínimo que eu espero que aconteça. E por mim tudo bem
se você também quiser assim.